Direitos Autorais – O Seu Direito a Continuar sendo… Livre

O Seu Direito
a continuar
sendo..

Livre

Você é realmente Livre?

❤︎

Se tivesse uma vaca,
Você seria capaz de tirar-lhe
o leite sem lhe dar pasto?
E se o fizesse,
por quanto tempo
seria capaz
de continuar a fazê-lo?

Você poderia bebeficiar-Se
do avião, se algém
não o tivesse inventado?
Poderia Você tê-lo inventado?
O que é que Você sabe
sobre aviões?

Uma das coisas mais incompreendidas pela maior parte da Humanidade
são os Direitos de Autor / Inventor.

Estes Direitos são para o Autor / Inventor
o que o pasto é para a vaca:
sem eles, o Autor / Inventor
já não pode continuar a contribuir com
a Sua Criatividade e com as Soluções
que dela provêm para o
Bem-estar de Todos.

Explicando um pouco mais claramente:

O Autor / Inventor, seja de um livro, de uma canção, de um filme,
de uma obra de arte, ou de qualquer outra Ideia ou Solução,
incluindo Invenções, põe tudo de si,
tempo e dinheiro (às vezes até pedindo emprestado),
para realizar as Suas Ideias
Criativas. As Suas Ideias são tão boas,
que as Soluções que Ele traz,
ao serem benéficas e úteis, todos as desejam,
ao ponto de alguns quererem imitá-las.

Acontece que a Pessoa ou Pessoas,
que querem imitar o que este Autor / Inventor tem para oferecer,
não fizeram nada para poder obtê-lo.
Ou tendo-o feito, nunca conseguiram levar adiante nada de especial.

No entanto, querem copiar as Suas Ideias sem dar-lhe nada em troca,
chegando às vezes ao ponto de pensar que estão a ser exploradas para muitos,
pagar Direitos de Autor / Inventor é como deixar-se explorar.

Ninguém pode conseguir algo em troca de nada.
Você pode aproximar-Se de um pedaço de Terra
e tirar dela o que Você não chegou a plantar?
Zero multiplicado por zero,
torna-se sempre zero.

Por outro lado,
se muitas Pessoas continuam a pensar desta forma
e fazem cópias ilegais,
sem reconhecer os Direitos de Autor / Inventor
pode-se chegar a um ponto
em que as Suas obras ou invenções
não produzam nada para o Autor / Inventor.

A Sua contribuição,
como Autor ou Inventor,
para a Humanidade não Lhe rende.

E se Ele tiver feito um empréstimo ou investido o Seu tempo,
dinheiro e Criatividade no Seu projecto,
este não lhe gerará nada.

O dinheiro simplesmente não regressa e Ele
pode acabar com dívidas maiores.
Pode ser que desista de continuar a fazer o que sabe fazer bem,
ou que persista apesar das dificuldades.

Mas, por mais que goste de continuar persistindo,
chega um dia quando já não tem como,
pois mesmo que não possa pagar as dívidas e o tempo investido,
necessita pelo menos de viver.

Esse Autor / Inventor acaba por ver
que a Sua Criatividade não é reconhecida,
e para sobreviver,
ou vai para um País
onde os Direitos de Autor / Inventor são respeitados,
pois essa é uma mostra de reconhecimento
e agradecimento à Criatividade alheia…

… ou então,
muda radicalmente de profissão,
fazendo algo medíocre,
comparado com o talento que tem,
mas que, por ser tão medíocre e comum,
ninguém procura imitar.

E porquê tudo isso?

Porque, apesar de ser medíocre,
pelo menos permite-Lhe sobreviver.

Assim vive (ou sobrevive…)
a maior parte dos Génios dos países do chamado
Terceiro Mundo.

Ou se vão para os Países
onde os Direitos são normalmente respeitados e
portanto o Seu talento é reconhecido,
ou vivem camuflados
como Pessoas comuns e correntes.

Essa é uma das diferenças que caracterizam um País
como sendo do Primeiro ou do Terceiro Mundo,
desenvolvido ou subdesenvolvido.

Nenhum País é desenvolvido por possuir mais tecnologia.
O desenvolvimento tecnológico
é uma mera consequência
do desenvolvimento mental e espiritual
e da ética com a qual o aplicam ao seu dia-a-dia.

É uma espiritualidade prática,
inclusive pragmática e não a teoria da soberba
espiritual que alguns Países,
Culturas ou Comunidades pretendem ter.

Isso é tão interessante que alguns Países
como os Estados Unidos,
são tão rigorosos que qualquer Pessoa
que viole os Direitos de Autor / Inventor
tirando cópias pirata de, por exemplo,
programas de computador,
pode ter que pagar
uma multa de até 50 mil dólares e prisão.

No fim de contas,
violar os Direitos de Autor / Inventor é um roubo.
E um dos mais graves e covardes roubos que existem.

O que é que nos custa colaborar
com uma pequena contribuição
para Quem nos está a dar tanta coisa maravilhosa
como as Suas Soluções,
Obras ou Invenções?

O que é que fizemos para tê-las,
enquanto que o Outro ou a Outra dedicou a Sua
Vida e toda a Sua Criatividade para consegui-lo?

Assim poderemos estar ajudando-O a manter-Se,
talvez até a recuperar o Seu investimento e uma vez recuperado,
a dedicar-Se a novos projectos
– trazendo novas Soluções,
em vez de pôr a Sua Criatividade de lado
e assim atrasar ainda mais o progresso e as necessidades da Humanidade.

E se Ele ficar rico,
que seja abençoado,
pois o merece.
Nunca nos tornaremos pobres
por ajudar alguém a estar bem ou a ficar rico honestamente.

Poderemos sim, tornar-nos pobres,
pensando mal dos Outros
ou fazendo-Lhes
mal de alguma outra forma.

Pensar mal já é,
em si mesmo, uma das piores formas de pobreza e de
criminalidade.

Por outro lado,
Pensar Bem é Dizer Bem com a Mente e o Coração.
Ou seja, é

Bem Dizer = Bemdizer = Abençoar.

Abençoar o Outro é dirigir a Sua Luz à Luz do Outro,
que Você acaba de reconhecer
através do Brilho que dela provém.

Abençoar o Outro é agregar a Luz emanando de Si,
à Luz que já existe e emana do Outro.
Agregando à Luz, Você está a fazê-la crescer…
é crescer…
é multiplicar…
Crescer e multiplicar a Luz do Outro,
mas também a Sua e claro,
a de Todos os Outros.

A Sua,
porque se Você faz crescer e multiplicar a do Outro,
sendo Luz,
naturalmente emana em todas as direcções e portanto,
também até para Você mesmo.

Concluindo,

Abençoar o Outro é Abençoar-Se a Si mesmo.
Concluindo,
Rajmohan Gandhi, o Neto do Mahatma Gandhi, dizia:
“Carácter é o que Você faz na escuridão.”

À luz do dia e diante dos Outros,
Todos podem ser Honestos.
Você poderá no silêncio da Sua Alma,
Coração e Mente,
continuar dizendo que é realmente honesto?

Ainda que sozinho,
isolado dos Outros e na escuridão Você é realmente honesto?

Não é a tábua dos dez mandamentos,
nem um código de leis,
nem algo semelhante que vai determinar a Sua Honestidade,
mas sim o Seu Respeito ao Seu Semelhante
e isso inclui os Direitos dele como Autor / Inventor ou Inventor.

Afinal, não queremos matar a galinha dos ovos de ouro.
Queremos?
E Você também é uma delas…

❤︎

O SEU DIREITO DE SER LIVRE
É O DIREITO COM O QUAL VOCÊ CONSERVA
A SUA LIBERDADE,
RESPEITANDO A LIBERDADE DOS DEMAIS.

A LIBERDADE DE SER AUTOR/INVENTOR,
A LIBERDADE DOS DIREITOS
AUTORAIS.

A LIBERDADE DE SER AUTOR/INVENTOR,
A LIBERDADE DOS DIREITOS
AUTORAIS.

A LIBERDADE DE SER AUTOR/INVENTOR,
A LIBERDADE DOS DIREITOS
AUTORAIS.

❤︎

Obrigado por iluminar as nossas Vidas
com a Luz do Seu Amor,
Compreensão e o Respeito ao Direito do Outro
Viver o Direito do Autor / Inventor,
o Direito da Autora / Inventora…

Obrigado por compreender a importância de uns cuidar dos Outros…

Obrigado por existir e assim ajudar Todos cada Um a também existir…