Uma Pequena Introdução à Cooperação Harmônica

( Uma maneira Inteligente, diferente e Eficiente de Viver uma Vida Excelente )

– 1985. Estados Unidos. As estações de TV estão concentradas em uma simples quadra de vólei e transmitindo para todo o mundo a informação que prende a atenção de milhares de telespectadores, em particular de dois países, Estados Unidos e Brasil.

– 1985. Brasil. No mesmo dia e na mesma hora, estava pessoalmente visitando uma Família Amiga, que como tantas outras, estava com sua atenção, expectativa e emoções dirigidas à um pequeno retángulo, a tela do televisor; estava sendo transmitida a final do jogo de vólei USA – Brasil. O Brasil perde para os Estados Unidos, ficando em segundo lugar na classificação do mundial.

Tristeza geral dos Brasileiros – havia muitas lágrimas, tanto da parte dos jogadores como dos espectadores. Enquanto isso os Americanos davam como podiam, vazão total à Sua alegria de ter obtido a vitória final e o primeiro lugar.

Neste instante, a dona de casa, Sra. Maria diz :

– “Que coisa não? Em um campeonato É melhor sair em terceiro lugar do que em segundo.”

Fernando, seu filho adolescente, como a grande maioria, aficionado, se não fanático pelos esportes e ainda consternado pela tristeza que Lhe invadia, respondeu com rebeldia :

– “Como pode dizer uma coisa assim, Mãe? Você não entende nada de esportes. Não sabe que nos esportes a sequência É um, dois, três, quatro… ? Isso significa que o terceiro vem depois do segundo.”

Pacientemente a Mãe responde :

– “Sim meu Filho, tem razão. Porém observa como vimos agora mesmo, enquanto o terceiro saiu sorridente do quarto; o segundo saiu chorando do primeiro”

Fiquei escutando admirado e contente a Sra. Maria, que em Suas palavras tão sinceras dizia o que vínhamos ensinando no Curso : “RENASKIĜI – A Arte de Viver a Vida em Harmonia” na Vida jamais devemos buscar sair vitoriosos, porque só poderá haver vitorias se alguém sai derrotado. Que Felicidade é a nossa, se para obté-la temos que deixar alguém infeliz? Como poderemos ter a coragem de comer um prato cheio de comida, comemorando em voz alta com alegria e satisfação enquanto os Outros sentados do outro lado da mesa, também se fazem escutar alto, porém o que se escuta é o ruído produzido pelos seus estômagos vazios e com tanta fome que roncam, e tanta sede que chegam a chorar, para ver se as lágrimas, os fazem esquecer da sua própria água que necessitavam e que nem sequer tem para beber?

Você pode me dizer – “Mas quem chega ao ponto de fazer uma coisa tão terrível? Eu nunca faria isso!”- Tem razão meu Nobre e Bem Intencionado Amigo, Você nunca o faria, eu também sei. Mas o pior, é que, sem saber, Você o faz, e não é só uma vez ou duas, senão constantemente – diariamente em Sua Vida e o que é ainda mais triste é que não é só Você. Você faz parte da quase totalidade dos habitantes deste planeta que o fazem.

Como o faz? Basta substituir a mesa do exemplo acima por uma de “ping pong” ou uma quadra de tênis, ou qualquer outro esporte. Portanto Você e Sua equipe saboreiam a vitória, e os outros, com pratos vazios de vitórias, saem com suas mentes, corações e espíritos cheios de tristeza, infelicidade, amargura, inveja e às vezes até ódio, causados por Sua derrota, que chega normalmente a gerar neles a vontade de superá-los da próxima vez. Olho por olho, dente por dente. Se desta vez saímos pisados ou destruídos, na outra , sairemos pisando e destruindo… Este é o conceito básico da Vida do homem normal deste século, o homem chamado civilizado. E quanto mais civilizado, mais este conceito se torna verdadeiro.

Se tudo isso se passasse só no campo dos esportes já seria bastante mau, mas a situação é ainda muito pior, porque esta é a forma de viver aceita e ensinada tradicionalmente ao homem.

Em vez da quadra de esporte, ou da mesa de comida já ditas, a mesa pode ser de discussões políticas, econômicas, sociais, científicas, religiosas ou filosóficas. A quadra pode ser a sala de provas de uma escola, universidade ou empresa onde, como gladiadores em uma arena, muitos lutam para provar que cada um dos outros é pior do que eles, e que eles ou ele merece o único ou poucos lugares que existem para chegar à vaga na universidade ou trabalho.

Até nos caminhos chamados espirituais, cada religião busca mostrar que é a via exclusiva até Deus, ignorando as outras e que temos que destruir o mal para construir o Bem.

Existe, em verdade, alguma maneira de construir o que é Bom sem destruir o Mal? E se não eliminarmos o mal, o que poderíamos fazer com ele ?

Pode-se levar adiante uma idéia sem deixar de lado outras, ou qualquer outra, que pareça antagônica à que se deseja implantar?

As respostas a todas estas perguntas Você vai descobrir em Você mesmo na medida que Você aplicar com Sabedoria os conhecimentos e técnicas extremamente práticas, simples e necessárias, compartilhadas com Você nos cursos de “RENASKIĜI”. Pois desde já posso garantir a Você que a resposta é sim. Sim, existe uma alternativa!

Um de nossos trabalhos é conhecido como “RENASKIĜI – Soluções Criativas”. Porque transforma Você em uma verdadeira Solução, desde o momento que Você aprende a gerar Soluções Criativas e Construtivas, aceitando e exercendo a responsabilidade pela Vida em cada coisa, por maior ou menor que seja; participando ativamente com todo o Seu Ser – Criativo e Construtivo para um mundo melhor: Cooperação …

Você pode afirmar : “Todas estas idéias compartilhadas no parágrafo anterior não são novas. São milenárias. Pode-se dizer que através de muitos anos toda a Humanidade sempre soube, sem nunca conseguí-lo. Qual a garantia que irão adiante agora? Deveria Eu investir minha Vida em um projeto destes? Por quê?”

As idéias são antigas, mas a sua apresentação e a maneira de aplicá-las é extremamente nova. Além do mais, basta que Você experimente-as em Sua Vida para que rapidamente Você responda em meu lugar, em vez de me perguntar como agora – a partir de então, uma vez que Você tenha experimentado, Você terá Seus próprios sucessos como provas práticas.

Não basta falar em COOPERAR, temos que cooperar com a Cooperação!

O QUE É QUE FALTA PARA QUE VOCÊ POSSA COOPERAR COM A COOPERAÇÃO?

Não existe nenhuma época na Humanidade em que não se tenha tentado utilizar a Cooperação. Civilizações antigas e modernas, orientais e ocidentais, tinham a Cooperação como meta. Dentro dos modernos projetos sociais, econômicos ou políticos, muito se fala em Cooperação, mas os resultados parecem ser poucos ou quase nulos. Por que?.

Se a Cooperação é tão boa ela deveria multiplicar-se, aumentar. Por que ela não vai adiante? Será que o Homem é não-Cooperativo por natureza ?

Um carro com o motor ligado, por mais forte que seja sua potência, pode rodar se o freio (travão) está acionado?

Cada Pessoa é como esse carro, e no momento que decide cooperar é como se estivesse tirando o pé do freio. Até aqui está tudo bem. A Pessoa arranca, saindo da Sua inércia, mas as coisas não vão muito adiante – não há velocidade, a Cooperação não progride, parece que alguma coisa atrapalha.

Claro! De que adianta tirar o pé do freio, se o freio de mão continua acionado. O carro pode ser que saia, mas não irá longe e se for será com muita resistência, causando dano para o próprio carro. Assim também, de nada adianta a Alguém estar motivado a cooperar e iniciar o processo, se o freio de mão, que é o condicionamento que recebeu desde a sua infância, através dos esportes, filosofias, religiões e toda a cultura do Seu ambiente, o leva a buscar a competição.

“A Competição é o freio de mão da Cooperação”.

Enquanto este freio de mão não for desativado, não haverá terreno fértil para a Cooperação, nem mesmo como semente, criar raízes e se desenvolver.

Toda a nossa cultura, instrução e “educação” está baseada na competição. Nossas atenções e vida são orientados para ela; são muitos anos de cultura e tradição; dezenas de anos de treinamento escolar.

É possível sair de uma hora para outra desta avalanche de herança cultural competitiva?

Sim – não só é possível, como necessário – É A ÚNICA SAÍDA.

Com as técnicas de descondicionamento e desprogramação de “RENASKIĜI”, tais como “Viagem ao Passado” ( regressão consciente sem hipnose ), exercícios do “Rio de Energia e do Perdão”, “Telepatia e Diálogo Mental” e os conceitos Cósmicos, qualquer um pode rapidamente alcançar novos Estados de Consciência, em que a Cooperação passa a ser a razão da existência do indivíduo.

Entre muitos outros projetos que temos em ação ou por implantar, se encontra o de reescrever as histórias infantis existentes no Mundo, para que elas nunca mais terminem com o Bem destruindo o mal e vice-versa. Em sua nova versão as histórias terminam com o Bem vivendo de uma forma tão brilhante e luminosa, que estimula e motiva o mal a seguir o seu exemplo utilizando o seu próprio livre arbítrio, e transformando-se no Bem.

Obviamente as histórias infantis novas já seriam escritas em seu original segundo esse novo padrão, o da Cooperação.

Há diversos locais da Terra onde as Pessoas praticam naturalmente a Cooperação. Por exemplo, a tribo Tangu, na Nova Guiné (Austrália), tem um jogo com peões, que só termina com o empate. Isso faz com que as Pessoas e equipes cooperem entre si. Assim como no caso do homem “Civilizado” o hábito da competição está registrado no subconsciente, e governa todos os seus pensamentos, palavras e ações e no caso dos Tangu, é a Cooperação assim registrada, que faz parte de sua vida diária, ao ponto que quando chega a hora da comida sempre há o suficiente para todos; e na hora do trabalho ninguém se sobrecarrega -Todos Cooperam.

Se Lhe parece uma exceção a tribo Tangu, poderia Lhe dar muitos outros exemplos, como algumas tribos de Índios do Amazonas, ou outros povos dos Andes, os pigmeus do Kalahari na África, os Senói da Malásia, os Tasaday ds Filipinas… – e ainda exemplos modernos como são as últimas técnicas Japonesas que ensinam a cooperar e outro de nações que resolveram remover as barreiras da competição que lhes separava individual ou coletivamente umas das outras, unindo-se para formar blocos como a Comunidade ou União Européia.

Um bom exemplo dessa tentativa de Cooperação, é o socorro económico prestado pelos Estados Unidos ao Japão, na tentativa de salvar o yen.

Um outro, é o do jogo de futebol entre os Estados Unidos e o Irã, no Campeonato Mundial em 1998, na França. Apesar de competitivo, houve toda uma aura de cooperação na atitude dos jogadores, treinadores e outras autoridades, com a intenção de se por fim a uma guerra fria de 18 anos em os dois países. É de se ressaltar que simultaneamente, hooligans atuavam desenfreadamente em alguns outros jogos como os da Alemanha e da Inglaterra.

Como lhe disse anteriormente para que tudo isso vá bem é necessário Consciência. A Consciência ainda que pareça ausente, nem sempre está faltando. O que falta é direcioná-la para uma Consciência de Cooperação em vez de Competição.

A prática dos ensinamentos e técnicas de “RENASKIĜI” permitem a Você rapidamente e em alguns casos, imediatamente, alcançar a Consciência de Cooperação. É como um elétron ganhando energia para dar um salto quântico a um novo Estado de Consciência.

Na Natureza nada se perde nada se ganha – tudo se transforma. Temos que aprender e praticar a Arte da Transmutação. – A ARTE DE RENASCER – …

A ARTE DO SEU RENASCER

A primeira mudança para começar a Sua transformação pessoal é aceitar que a mudança é possível.

Muitos passam a Vida pensando que as mudanças são impossíveis. Outros pensam que são difíceis, poucos aceitam que as mudanças para melhor são possíveis; mesmo assim, pensam que são demoradas e ainda tem que sofrer, sacrificar-se e lutar para isso.

Em verdade as mudanças – especialmente aquelas para melhor – não necessitam de sofrimentos, sacrifícios, lutas… tampouco de esforços ou de força de vontade. Muito menos de preparação.

A mudança ou transformação é a única realidade da qual nada – nem o mais céptico – pode duvidar ou escapar.

Tudo muda. O futuro se transforma em passado através do presente. A semente se transforma em planta ou árvore, folhas, flores, frutos – e novas sementes. Quando Você deseja ter conhecimento de alguma coisa ou aprende um novo idioma, Você se transforma de ignorante a conhecedor, pelo menos na parte que se refere àquele assunto.

Muitos guardam o conhecimento pensando assim multiplicá-lo. O conhecimento guardado em vez de multiplicar-se, diminue porque se estagna como um pântano, traiçoeiramente, fazendo Você afundar no vazio de Sua vaidade. A vaidade é um vazio – como um poço profundo e estreito, não permitindo a Você aumentar Seus horizontes, nem tomar contato com os demais Seres, coisas ou situações, porque neste poço tão estreito, não há lugar para nada mais ou nenhuma coisa mais – Você , somente Você e Você.

A vaidade não permite a Você ver nenhuma outra coisa porque não só o espaço do poço é limitado, senão também , como a Luz quase não chega até lá, fica muito escuro dentro dele. A vaidade não permite alimentar a Sua experiência de Vida, tanto porque o complexo de superioridade ou inferioridade que a caracteriza, impedem Você de ver as coisas (ou se as vê, vê deformadas), como também, porque não há interação com outros Seres ou situações. Sem esta interação, sem esta experiência não há crescimento. Sem crescimento não há Vida.

Viver é experimentar.

É aplicar o que experimentamos para novas experiências criativas e construtivas. Quando a experiência não é criativa e construtiva não há crescimento. Não há vida.

“A Vaidade é a Morte da própria Vida”

Para que haja um desenvolvimento do Todo, é necessário começar com um desenvolvimento pessoal. O desenvolvimento pessoal pode servir tanto para ajudar o Todo e assim levar cada um, a evoluir, incluindo a própria pessoa que contribuiu para isso, como também pode levar à queda dessa mesma Pessoa.

O perigo do desenvolvimento pessoal de cada um é que pode transformar-se em vaidade. Este estado, como já vimos, separa Você dos demais. A separação é o oposto da interação, ou seja, a separação é um simples e direto “não” à Vida.

Através da simplicidade dos ensinamentos de “RENASKIĜI” e os resultados sempre eficazes mediante sua aplicação, Você aprende a compreender e perceber que a Vida é simples. E também a ver com tanta claridade, que Você passa a saber que se há complicações é porque Você mesmo as criou ou de alguma maneira contribuiu para sua criação e existência.

Esta visão lúcida permite a Você ver com nitidez, perspicácia e velocidade a integração dos diversos fatores existentes em um problema ou situação e consequentemente chegar sempre a uma solução brilhante, construtiva, criativa e rápida – tão rápida que as vezes é imediata – ou pelo menos se comparada com a maneira tradicional, pode-se considerá-la como imediata.

Por outro lado a simplicidade é a ponte para a Humildade. Cada vez que Você é simples ou faz coisas simples, Você fabrica e coloca em seu devido lugar, um tijolo a mais na ponte da Humildade.

A Humildade faz Você não querer guardar mais nenhuma coisa para Você, nem sequer o Conhecimento. Isso leva Você a fazer fluir o Conhecimento até os outros, utilizando para tanto, a ponte da Humildade que Você já construiu. O uso constante da ponte fortalece a ela mesma, ou seja a Sua Humildade. O trânsito de conhecimento na ponte da Humildade gera Sabedoria. A Sabedoria é gerada e multiplicada na medida que Você utiliza o Conhecimento de uma forma construtiva e criativa servindo aos demais. O serviço aos demais só é Serviço se desinteressadamente Você contribui para a Evolução e Bem Estar dos Outros. O serviço flui em uma só direção de Você – o Gerador, até os demais – os Receptores.

A lâmpada como qualquer fonte de Luz ilumina, porque gera a Luz e a faz fluir a Todos e ao Todo. Assim como a lâmpada é o seu Serviço aos demais : um processo de Luz, porque o Seu Serviço se irradia para Todos e ao Todo. Em outras palavras quando Você serve a Todos da maneira que aqui falamos, Você se transforma em uma Fonte de Luz. Irradiar a Luz é Amar. Servir é Amar.

Resumindo – o trânsito do conhecimento pela ponte da Humildade, com Sabedoria a Serviço de Todos, iluminando-os, é um ato de Amor.

AMAR é praticar atos de Amor

RENASKIĜI leva Você a praticar atos de Amor. Amar faz Você Renascer. A arte do Seu Renascer é uma Arte de Amor.

Notas :
1 – Maiúsculas – Ainda que aparentemente rompa as regras gramaticais, o uso de LETRAS MAIÚSCULAS em certas palavras (Como por exemplo Você, Se , Pessoa, etc.) é intencional, um hábito de RENASKIĜI como sinal de respeito a Divindade que existe em Você e nos Outros.

2 – Repetição de palavras – a repetição de palavras, ou mesmo a ocasional cacofonia que possa surgir no texto, não é um atentado ao pudor gramatical ou ao estilo literário, mas sim uma técnica usada intencionalmente pelo autor para criar certos efeitos sonoros, como se fossem mantras e assim reforçar não só a idéia senão também a memorização da mesma. Isto é ainda mais necessário no caso dos exercícios práticos de Relaxamento, Telepatia, Viagens Mentais no Tempo (Passado e Futuro), etc.

Robiyn-Dolphin-Fenix