❤ Robiyn-Dolphin ajuda a revelar uma Mensagem do Pai Desencarnado de Vitória HILÁRIO

RENASKIĜI ❤ Robiyn, ❤ UMOL - Desvendando Mistérios e Superando Limitações... Leave a Comment

Esta é uma conversa que decorreu durante o seguinte iKurso,
com Participantes de vários pontos do Mundo:

 

 

Nesta conversa, Robiyn-Dolphin ajuda a Revelar
uma Mensagem do Pai Desencarnado da Vitória HILÁRIO.

Partilhamos também o Relatório da Vitória HILÁRIO, após estas revelações:

Robiyn

Extasiada por iluminar

Relatório da vida atual – Recado transmitido pelo meu Pai

Robiyn, Obrigada pelo iKurso de hoje e pelas mensagens do meu Pai.

Sinto o meu corpo muito diferente… muito diferente… já não tenho a rigidez nos ombros nem nas costas, respiro melhor… fui adormecer os meninos com miminhos e já abracei a minha Mãe com carinho.

O Robiyn disse-me hoje durante o iKurso, que o meu Pai me estava mostrando uma situação ocorrida nesta vida, que tinha ocorrido em pequena e que por causa disso não consegui manter um relacionamento.

(O meu Pai desencarnou no dia 23 de dezembro de 2017, há 8 dias atrás, durante o sono… partiu com um ar muito calmo e sereno)

Porque é que este recado do Robiyn é tão importante para mim?

Antes de partir, o meu Pai esteve internado no Hospital de Vila Franca de Xira com problemas renais. Num dos dias ele disse-lhe “Pai Sabe quem lhe manda um beijinho?” Ele respondeu “não” e eu disse “ a Mãe!” e ele fez um sorriso, quase uma gargalhada e ficou muito feliz. Aí percebi o Amor que o meu Pai sentia pela minha Mãe. Eles estiveram casados 48 anos e viveram um mar de rosas com uma boa dose de espinhos. O meu Pai sempre foi uma pessoa com um temperamento muito difícil. Mas o Amor que o meu Pai sentia pela minha Mãe estava lá.

O Natal em nossa casa era sempre complicado. O meu Pai sempre recordava que aos 12 anos foi à missa do Galo (24 de dezembro) e quando voltou para casa a porta estava trancada. O seu Pai, o meu Avô, havia trancado a porta e o meu Pai dormiu essa noite debaixo duma carroça. Sincronismos da vida, passados 69 anos, o meu Pai foi sepultado, em Coruche, sua terra natal, na mesma campa do meu Avô (seu Pai) justo no dia da consoada (24 de dezembro). Este ano, o meu Pai uniu a família no Natal.

À dor muito forte que senti no meio peito pela partida do meu Pai, juntou-se com a mesma intensidade à dor pela perda do amor do Pai do meu filho mais novo. Nestes dias, não consegui abraçar os meus filhos nem cuidar da minha Mãe que ainda está muito debilitada devido à cirurgia ao coração. Voltei a sentir-me como no primeiro dia do curso (a 18 de outubro de 1999), voltei a sentir que tinha abraçado um muro de pedra… exatamente a mesma sensação que tive depois de abraçar o Robiyn pela primeira vez.

No meio dos meus pensamentos, pedi a meu Pai (já desencarnado), que me ajudasse a encontrar um companheiro bom para mim e que fosse também um bom Pai para os meus filhos. Mas Pai, não da forma como Amas-te a Mãe, ao Teu jeito, amas-te muito a Mãe mas…. e dessa forma eu já fui Amada e não quero. Ajuda-me a encontrar um companheiro para viver com harmonia.

Saber que o meu Pai onde está, em sete dias (hoje é dia 30 de dezembro de 2017) conseguiu transformar o que viveu aqui enquanto vivo e está bem e de bom humor. Era mesmo muito importante para mim. E que voltou para me ajudar… melhor ainda… é fantástico ou amazing como dizia a Paula Vaquero.

Aqui vai o Recado:

R – Robiyn

V – EU – Vitória

 

R – Nesta vida enquanto pequena dei um salto em comprimento numa caixa de areia e houve um menino que veio por trás de mim e também caiu e bateu com os pés nas minhas costas. Por isso tem rigidez nas costas e não gosta que toquem nas costas daí que também não gosta de abraçar, nem consegue ter nenhuma relação mais profunda com ninguém – não só matrimonial, mas nas relações como Pessoa, com os outros. Por causa do menino ter tocado nas costas fica desconfiando dos outros e as relações não se dão.

V – Durante o jantar a minha Mãe confirmou que fizemos ginástica ainda antes dos 6 anos, ainda antes mesmo, de iniciar a escola primária.

(Agora ao escrever lembrei-me que uma vez no trabalho, já em adulta, mudaram as nossas secretárias para outra sala de trabalho e a Diretora queria colocar outra colega atrás da minha secretária e eu não deixei e disse-lhe não quero ninguém sentado atrás nas minhas costas.

Lembro-me que nesses 8 anos, a minha secretária passou por 4 salas diferentes e foi sempre posicionada de forma a que ninguém ficou sentado nas minhas costas) (outra situação, quando vou em caminhadas a pé ou cortejos de carros, faço questão de ser sempre o “carro vassoura”, vou sempre em último, para garantir sempre que ninguém fica trás. Provavelmente, será por isso que aos 10 anos fiquei em último lugar na corrida de atletismo do dia de Camões… Sim porque eu não desisti! da prova,… os senhores do “carro vassoura” bem queriam que eu desistisse porque eu ia muuuuito em último lugar… mas eu não desisti, fui (teimosa)… fui correndo devagarinho e andando calmamente… e acabei a prova… lembro-me disso como se fosse hoje, agora!).

Enquanto o Robiyn foi falando lembrei-me duma situação, ocorrida na piscina, relacionada também com uma queda. Eu dei um salto de mergulho para a água e houve outro menino que também mergulhou logo atrás e me puxou as pernas e eu ía afogando.

O Robiyn disse para perdoar o menino pois foi acidental. Quando foi puxada para baixo, a água ficou alojada nos canais no nariz (seios nasais) e afetou os canais dos olhos … ficou a doer um pouco mais acima do nariz passando a ter sinusite, rinite, uma dor muito forte e também deve ter a visão afetada.

Comentei que quando vou à piscina ao fim de 7 dias ainda tiro água do nariz com cheiro a cloro.

Durante a aula também contei que o Natal aqui na Casa da minha Mãe era passado na cozinha fazendo os bolos e que numa dessas vezes fizemos pastéis de nata pela primeira vez. O meu Pai estava a dormir e eu fui levar-lhe um pastel de nata quentinho, acabadinho de sair do forno… pois imaginem a reação do meu Pai…

Mas o meu Pai gostou tanto dos pastéis de nata que depois passou a ser Ele a fazê-los. 

Por isso, no dia em que desencarnou fui com o meu filho e com o meu sobrinho, mais velhos, fazer os pastéis de nata.

O Robiyn perguntou se o meu Pai gostava dos fritos do natal e de bolo Rei. O Robiyn pediu para eu comer um pouco de fruta cristalizada verde, eu respondi “um figo cristalizado!” . E também para comer um pouco de gelado de baunilha, (um pouco mais creme, não tão baunilha) que o gelado ia ajudar o meu Pai, embora desencarnado, na situação do pastel de nata.

Quando a aula acabou, por volta das 10 horas,  fui ver o que estava no prato dos bolos de frutas e… sobrava apenas uma coisa do bolo Rei – um figo cristalizado, de cor verde! 

Ao jantar (por volta das 20h30), quando fui para comer o gelado de creme de leite, pensei no meu Pai e senti a parte detrás do céu da boca e a garganta como que arranhada. Conforme fui comendo o gelado esta sensação desapareceu.

Estava aqui quase a deixar escapar algo muito importante do recado:

O Robiyn transmitiu que o meu Pai disse para transformar duma vez essa minha rigidez e viver feliz (1)

Mais uma sincronicidade… O Robiyn neste iKurso recomendou um filme turco… em 18 anos que participo de cursos não me lembro do Robiyn ter recomendado um filme turco… A Mãe do meu Pai, a minha Avó Maria Vitória (e eu tenho o nome da minha Avó)… era Turca. 

__________________________________________________

nota (1) Aqui faltou-me um pouco da conversa só retive isto

nota (2) Robiyn publique o texto integralmente ou edite se necessário

Esquema cromático Cumprimentos; Explicações agora para melhor entender o que se passou no ikurso;  Recado/mensagem do meu Pai; O que fui lembrando na aula; O que lembrei agora.

____________________________________________________

Vou fazer já de seguida o Exercício do Rio de Energia

Beijinhos e abraços e até já

Vitória Hilário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *